Make your own free website on Tripod.com

Motivação

An schönen Abenden aber sah man Jim und Lukas immer nebereinander an der Landesgrenze sitzen. Die untergehende Sonne spiegelte sich im endlosen Ozean und baute mit ihrem Licht eine goldene, funkelnde Straße vom Horizont bis vor die Füße der beiden Lokomotivführer. Und ihre Blicke folgten dießer Straße, die in weite Ferne führte, in unbekannte Länder und Erdteile, niemand konnte sagen, wohin. [...]
Und während sie Zukunftspläne schmiedeten, schauten sie auf das Meer hinaus und die großen und kleinen Wellen rauschten dazu an den Landesgrenzen.

Extraído de Jim Knopf und Lukas der Lokomotivführer por Michael Ende

O texto acima, em alemão, foi extraído de um livro para crianças pelo autor Michael Ende (A história interminável, Momo), que conta a história de um condutor de comboios (Lukas), o seu comboio (Emma) e do seu jovem amigo (Jim),
Jim Knopf e Lukas, o operador de comboio da serie de TV
Jim Knopf e Lukas, o operador de comboio da série de TV infantil.
que viajam pelo mundo no seu comboio e vivem toda uma série de aventuras. No fim do livro, Jim e Lukas estão sentados junto ao oceano, vendo o pôr do sol sobre as ondas, estando ambos a contemplar em deixar a sua ilha-estado mais uma vez para explorar o desconhecido em busca de mais aventuras.

Este livro foi adaptado pela Augsburger Puppenkiste, uma companhía de teatro fantoche, numa série de episódios, que foram transmitidos pela televisão alemã quando eu vivia na Alemanha como criança. Eu lembro-me vivamente destes episódios e da excitação que era seguir aquelas aventuras de viagem fictícias. Certo, tudo era somente ficção, mas não seria maravilhoso viajar pelo mundo e explorar o que ele têm para oferecer? Consequentemente, eu desenvolvi desde cedo na minha vida uma curiosidade pelo mundo à minha volta, e a melhor forma de explorar o mundo é vivê-lo em primeira mão. Isto é a essência de viajar.

Durante a minha infância e adolescência eu era uma esponja quando se tratave de aprender novos conhecimentos. O que mais me interessava era ciência, geografia, engenharia e línguas. Eventualmente, eu conseguí aprender quatro línguas; alemão e português como línguas de nascença, inglês na escola e mais tarde francês como adulto. Eu tornei-me um engenheiro de software, que tinha o aliciante de combinar matemática com linguagem (linguagens de computador). Parte da minha infância foi passada na Alemanha, aonde eu nasci. Depois os meus pais voltaram para Portugal e eu vivi aí durante 17 anos. Durante este tempo eu tive a oportunidade de viajar, na maior parte dos casos pela Europa. Eu trabalhei durante cinco anos em Portugal e todos os anos eu tinha um mês inteiro de férias. Eu raramente tirava vantagem de todo o meu tempo de férias. Mesmo assim, eu estive por grande parte da Europa ocidental e tive também a ocasião de passar umas semanas no Canadá e EUA.

Então decidi que eu tinha de expandir a minha experiência de vida e mudei-me para o Canadá. Mas mesmo quando cheguei ao Canadá, eu já estava a querer viajar por lugares distantes e exóticos.
Eu em Niagara on the lake, Ontario no outono de 2000
Uma imagem minha tirada em Niagara on the lake, Ontário no outono de 2000.
Mas agora eu tinha apenas 2 semanas de férias por ano. Eu tive alguma dificuldade em me adaptar a esta mudança. Agora com a maior parte da minha família em Portugal, quaisquer planos de férias eram sempre cuidadosamente planeados e eu não conseguía encontrar tempo para todas as viagens que eu queria fazer. Bem, uma forma radical de prosseguir com os meus planos de viagem seria deixar o meu emprego e ir enquanto o meu orçamento o poderia permitir. Em poucas palavras, foi basicamente o que fiz.

Eu comprava velhas revistas da National Geographic e lia avidamente as histórias acerca dos diferentes lugares do mundo. Uma vez, li a história de um adolescente que circumnavegou o mundo num barco à véla. Eu queria fazer algo semelhante, mas eu não estava muito entusiasmado com a ideia de velejar. Então, um dia voltei a uma ideia antiga de adquirir uma mota (eu não tinha ainda uma carta de condução) e enquanto fazia alguma pesquisa, eu deparei com páginas na internet de pessoas que viajavam pelo mundo de mota. Ena! Isto é uma coisa que eu posso fazer, e foi assim que surgiu esta ideia. Isto foi em 2000 e desde então os meus planos tornaram-se mais claros.

Se o trabalho se tornava aborrecido, eu navegava pelos sites de internet de outros viajantes e lia as suas histórias e via as suas fotografias. Durante os últimos dois anos eu conheci virtualmente várias pessoas que
Na margem da baia georgiana durante uma viagem ao lago Superior, 2002
Eu, junto à margem da baía georgiana durante uma viagem ao lago Superior em 2000.
viajaram ou estão ainda a viajar pelo mundo nas suas motas. Foi assim que eu me quis tornar num viajante similar e ver o mundo com os meus olhos.

O plano ínicial para a minha viagem começou a dois anos, mas nessa altura eu ainda não tinha uma ideia clara acerca desta mesma viagem. A ideia foi-se formando na minha cabeça, enquanto ao mesmo tempo eu adquiria o equipamento de mota necessário e visitava mapas e guías turísticos. A cerca de um ano, eu decidi avançar com a ideia e estabeleci uma data para Abril de 2003. Na altura, tal data ainda estava longe no horizonte, mas eu fazia já alguns preparativos. Eu comprei livros, lia páginas na internet, aprendia acerca das experiências de outras pessoas e comecei a manter um registo do meu plano.

Subitamente, no verão de 2002, eu fiquei sem emprego. Apesar de planear deixar o meu emprego de qualquer forma, eu pensava apenas deixar o trabalho alguns meses antes da minha partida planeada. Bem, agora eu tinha uma boa razão de avançar com a minha preparação para a grande viagem. Ao mesmo tempo, eu estava a tentar arranjar outro emprego, preferencialmente a prazo, mas o mercado estava bastante mau e eu não conseguía arranjar um emprego em Toronto. A minha decisão de fazer esta viagem não veio de um dia para o outro, mas no entanto materializou-se ao longo de várias semanas. Agora parece que tomei esta decisão num instante.

Para fazer uma tal viagem é necessário algum planeamento. Na verdade é necessário bastante planeamento. Além de preparar a minha mota e comprar o equipamento essencial, eu tive de levar vacinas, pesquisar seguros médicos, folhear guías turísticos e ler os conselhos de outras pessoas, debruçar-me sobre mapas, etc. Eu fixei um orçamento para a minha preparação e um outro orçamento para a viagem em si. Nesta altura, eu não tenho bem a certeza se o orçamento para a minha viagem vai chegar, mas eu intendo seguí-lo o mais possível.

Mesmo que seja possível conduzir à volta do mundo em menos de um ano, mesmo numa mota, tal viagem não me seduzia por causa de todas as coisas que eu iria perder. Eu acho que faz mais sentido em alocar periodos de tempo razoáveis aos países e regiões pelos quais irei passar de modo a permitir-me vivê-los mais aprofundadamente. Além disso, um ritmo mais relaxado é mais agradável.

Então, o que têm isto tudo a ver com astronomia? Eu ainda não sei, mas sei que eu sempre fui e sou apaixonado por tudo o que está relacionado com astronomia. Quando eu tinha mais ou menos 12 anos, eu lembro-me em ver a série de TV popular Cosmos, sentado em frente ao televisor em tardes de Sábado solarengas, enquanto os meus amigos
M51 ou a galaxia do remoinho e NGC 5195, a 11 kpc de distancia
A galáxia do remoínho ou M51, juntamente com uma galáxia pequena NGC 5195, a cerca de 11 kpc de distância.
© Copyright Tony e Daphne Hallas
estavam a jogar futebol. Eu estava maravilhado em como o universo é fascinante. Desde então, eu mantive esta fascinação viva e eu tento manter o meu conhecimento actual com as mais recentes descobertas acerca do cosmos.

Quando eu decidi viajar pelo mundo, eu também pensei numa forma de tornar esta viagem útil para além de mim. Surgiu-me a ideia de levar um telescópio comigo e de dar a oportunidade às crianças dos locais pelos quais irei passar de ver o universo de uma forma diferente e eu espero estimulante. Eu não faço ideia se crianças por esse mundo fora têm acesso a telescópios, se alguém já fez isto antes de mim e teve um sucesso limitado, ou se eu vou de facto ser capaz de facilmente levar um telescópio numa mota, enquanto conduzo por algumas das estradas mais difíceis. De qualquer modo, eu sempre gostei de um desafio e se eu estiver entusiástico acerca de um, tal como estou acerca deste, eu penso que é possível.

Agora você sabe o que esta viagem de mota têm a ver com astronomia. Se você é professor ou conhece um grupo de míudos que estão desesperados em aprender mais acerca de astronomia e se eu fizer intenções de passar pela sua comunidade, mande-me uma mensagem e eu terei muito gosto de organizar uma sessão de observação astronómica. É de borla! Adicionalmente, eu também posso fazer uma apresentação, usando um projéctor de computador ou ecrãn, mostrando algumas imagens espectaculares do nosso universo. Apesar de eu preferir fazer a apresentação em inglês, eu também falo fluentemente português e alemão, algum francês e eu consigo entender um pouco de espanhol. Para mais informações, por favor veja a minha página de astronomia.

A minha viagem vai começar em Toronto, Canadá, aonde resido no momento. Daqui eu vou seguir para os Estados Unidos por Niagara Falls (cataratas de Niagara). Eu planeio seguir para sul até encontrar temperaturas mais amenas e depois seguir para oeste em direcção à Califórnia. Você pode encontrar um plano detalhado da viagem aqui.

Periodicamente, eu vou escrever histórias que irei publicar na secção de diário deste site de internet juntamente com fotografias tiradas durante a viagem. Eu também irei disponibilizar relatos no fórum do viajante Horizons Unlimited, que publica uma página de notícias mensal. E se quiser entrar em contacto comigo, tente o correio electrónico.

Nelson Patrício Oliveira
Toronto, 15 de Dezembro, 2002